domingo, 19 de setembro de 2010

Prá Sempre Por Enquanto

Estranho pensar por quantos caminhos eu já passei... E aqui estou! Quantas palavras eu já deixei? Quantos pensamentos diluídos? Tantos personagens de mim mesmo se perderam por esse labirinto infinito que sou.
Mil casos ou acasos me trazem e me levam de/a lugares iguais ou desconhecidos. Cambaleando pelo fio entre o paraíso e o inferno... Equilibrista, passeio por riscos e cautelas... Som e o silêncio... Memórias e recomeço... Perigosas são as pedras que sustentam esses muros. Ninguém sabe até quando elas aguentam. O quase já não me interessa. Escolho ser mais... Prefiro ser forte! Escolho as pontes... Prefiro os abraços! Posso não saber o que irei ouvir, mas posso determinar o que quero ver prá mim... Palavras são só palavras... Fantasmas são só fantasmas... É só acender a luz... E consigo vislumbrar o meu destino. E nesse caso, não sou só eu que ganho!
Se sou mesmo o meu próprio labirinto, posso querer ser também o meu próprio rumo.
Minha busca não pára...
E infinitos serão só infinitos...


"Mas sei que uma dor assim pungente não há de ser inutilmente... A esperança dança na corda bamba, de sombrinha, e em cada passo dessa linha pode se machucar... Azar! A esperança equilibrista sabe que o show de todo artista tem que continuar!"

Um comentário:

  1. Ficou massa! ;}
    Parabéns! ( :
    ps: NINGUÊM :p aeuiouoeiai'

    ResponderExcluir